HomeNossa HistóriaArtigosFotosVideosNotícias
MinistériosDownloadsCadastre-seFale ConoscoLocalização
 
 
 COLUNISTAS
   Carla Alecrim
   Dom Alberto Taveira
   Dom Sérgio Eduardo Castriani, CSsP
   Frei Sebastião F., ofmcap
   Frt. Inácio da Trindade, sjs
   Ivanildo Jr
   Lucimar Maziero
   Padre Flávio Sobreiro
   Papa Bento XVI
   Papa Francisco
   Papa João Paulo II
   Pe. João Evangelista, sjs
   Pe. Micael de Moraes, sjs
   Ronnei Peterson
 
 CATEGORIAS
   **Mostrar tudo
   **Artigo
   **Bispos
   **Espiritualidade
   **Formação
   **Formação Humana
   **Liturgia Diária
   **Ministérios
   **Notícias
   **Papa
   **Raio-x do Servo
   **RCC
   **Sacerdotes
   **Santo do Dia
   **YouCat
 
Artigo: Os quatro degraus da Lectio Divina
Subtítulo: por Ritinha
Data: 04/07/2012
Categoria: **Notícias

1º LEITURA
Conhecer, respeitar, situar (o que o texto diz?)

- exige determinação constante e contínua, perseverança, ascese e disciplina;
- não pode ser interesseira, mas deve ser gratuita, em vista do Reino e do bem do povo;
- é ponto de partida e não de chegada, faz o leitor pisas no chão;
- faz algumas exigências: analisar o texto e situá-lo em seu contexto de origem, em três níveis : a) literário ( quem? o quê? onde? por quê? quando? como? com que meios? como o texto se situa dentro do contexto literário do livro de que faz parte?) b) histórico (a história e suas dimensões econômica, social, política, ideológica, afetiva, antropológica e outras) c) teológico (o que Deus tinha a dizer ao povo naquela situação histórica; o que Ele significava para aquele povo; como se revelava; como o povo assumia e celebrava a Palavra do Senhor.

2º MEDITAÇÃO
Ruminar, dialogar, atualizar(o que o texto nos (me) diz?)

- o que é que Deus, através desse texto, tem a dizer hoje, aqui na América Latina, no Brasil;
- é um esforço que se faz para atualizar o texto e trazê-lo para dentro do horizonte da nossa vida e realidade, tanto pessoal como social;
- é uma diligente atividade da mente que, com a ajuda da própria razão, procura o conhecimento da verdade oculta;
- é atingir o fruto do Espírito;
- é semente de oração…a sua prática nos leva à oração.

3º ORAÇÃO
Suplicar, louvar, recriar (o que o texto me faz dizer ao Senhor?)

- como atitude está presente desde o início da leitura orante…no início invoca-se o Espírito Santo;
- mas tem o seu lugar próprio durante a Lectio Divina;
- admiração, “espanto “pelas maravilhas do Senhor;
- a comunitária supõe a pessoal;
- louvor, ação de graças, súplica, perdão, revolta…
- para evitar os conhecidos desvios é preciso que quem reza aprenda a lutar e quem luta aprenda a rezar;

4º CONTEMPLAÇÃO
Enxergar, saborear, agir (o que vejo melhor e vou fazer?)

- é o que sobra nos olhos e no coração, depois que a oração termina;
- cada vez que chego neste degrau, sinto-me reforçado para um novo começo;
- reúne em si todo o percurso da Lectio Divina;
- nela, ao que tudo indica, a experiência de Deus suspende tudo, relativiza tudo e, como que por um instante, antecipa algo da alegria que “Deus preparou para aqueles que o amam”
(1Cor 2,9).

Deus Abençoe você,

Ritinha


Fonte: Canção Nova
Voltar para página de artigos
Comentários

Nome(requerido)

Email(requerido)




mais comentários clique aqui ...
Todos os direitos reservados a Invictos Tecnologia
Versão 1.0.0.89