HomeNossa HistóriaArtigosFotosVideosNotícias
MinistériosDownloadsCadastre-seFale ConoscoLocalização
 
 
 COLUNISTAS
   Carla Alecrim
   Dom Alberto Taveira
   Dom Sérgio Eduardo Castriani, CSsP
   Frei Sebastião F., ofmcap
   Frt. Inácio da Trindade, sjs
   Ivanildo Jr
   Lucimar Maziero
   Padre Flávio Sobreiro
   Papa Bento XVI
   Papa Francisco
   Papa João Paulo II
   Pe. João Evangelista, sjs
   Pe. Micael de Moraes, sjs
   Ronnei Peterson
 
 CATEGORIAS
   **Mostrar tudo
   **Artigo
   **Bispos
   **Espiritualidade
   **Formação
   **Formação Humana
   **Liturgia Diária
   **Ministérios
   **Notícias
   **Papa
   **Raio-x do Servo
   **RCC
   **Sacerdotes
   **Santo do Dia
   **YouCat
 
Artigo: Carta ao @goj_nsp
Data: 15/09/2011
Colunista: Pe. João Evangelista, sjs

São Paulo, 15 de Setembro de 2011

 

      Boa noite a todos vocês, jovens do grupo Nossa Senhora de Pentecostes. Saiba que os amo muito, embora tenha sido muito pequena nossa convivência. Desejaria estar pessoalmente com vocês, mas os acolho e abraço por meio destas simples palavras. É uma grande alegria poder partilhar com vocês esta reflexão sobre Nossa Senhora de Pentecostes.

“ Todos eles perseveravam unanimemente na oração, juntamente com as mulheres, estava Maria, a mãe de Jesus” (At 1,14).

    Assim conclui o autor do Livro do atos dos apóstolos a apresentação do cenáculo, salientado entre os discípulos, uma presença especial, a presença da mãe de Jesus, da Virgem Maria entre os discípulos. Dentro deste contexto, sabemos que a pouco tempo atrás  os discípulos tinham presenciado o que acontecera com Jesus, qual tinha sido a consequência do exercício do seu ministério.  O desfecho foi à perseguição que o levou a morte de Cruz, provocada pelas autoridades políticas e religiosas como consequência do anúncio da verdade.

     Imagine o coração dos discípulos como estavam. Com certeza, repleto de medos, de preocupações... Com certeza pensavam consigo: se fizeram assim com o mestre, o que não farão conosco. Imagino neste ambiente, o quanto não foi acalentador ter Maria junto deles. Trazendo-lhes força, coragem. Mas sobretudo, quando reflito sobre Maria no cenáculo, a Virgem de Pentecostes, comparo-a como um para-raios. Imagine comigo, o que faz o para-raios?  Ele atrai o raio, e mesmo que este esteja bem distante, a força atrativa do para-raios atrai o raio para si. Creio que isto se deu no dia de Pentecostes. Maria, cheia de graça atrai o seu Divino Esposo, o Espírito Santo para si e para os discípulos, cumprindo-se assim a promessa do Senhor de enviar o Paráclito, o Advogado, o Defensor. Após a experiência de Pentecostes, de medrosos, os apóstolos se tornam homens audazes, corajosos, pois estão imbuídos de uma força sobrenatural. Estão repletos do Espírito Santo. Aí está o segredo de Maria, aí está o segredo dos apóstolos: estar cheio Espírito Santo. Ele nos torna autênticos cristão, verdadeiras testemunhas do Senhor. Maria é esta jovem, cheia do Espírito Santo.

     Nós muitas vezes somos influenciados a ter uma ideia de Maria, tão excelsa, salientado sua concepção imaculada, sua vida imaculada, sua entrega plena a Deus, de uma forma tão excelsa que quase a colocamos numa classe angélica; classe que ela não pertence. Maria, é sem dúvida, como afirma a Igreja, sem mácula, concebida sem pecado, sempre virgem, mas humana como nós, igual a nós em tudo exceto no pecado, do qual ela foi preservada em virtude dos méritos de Cristo. Ela não faz parte da hierarquia angélica. Ela é rainha dos anjos, mas não um anjo. Ela é humana! Viveu neste mundo as alegrias, mas também os dramas e conflitos que comportam a existência humana. Vemos isto presente muito claro nos evangelhos. Quando olhamos para a vida de Maria revelada pelos evangelhos, vemos uma jovem judia, humana. Alguém que recebeu o convite do Senhor de, na sua juventude, despojar-se de seus planos e acolher os planos de Deus em seu coração. Ela não hesita e diz sim ao Senhor. Vive a radicalidade de sua opção pela vontade de Deus em sua vida. Ela não tem medo de entregar a sua juventude nas mãos do Senhor. E aí está a grande beleza e ensinamento que sua vida nos traz. Maria, humana, nos revela que é possível ser todo de Deus, que é possível entregar a ele a nossa vida como um todo. E na nossa humanidade, irmos ao encontro de Deus.  

É possível ser um jovem todo de Deus, viver o evangelho, viver a radicalidade que nos convida o Cristo, viver a castidade, viver a fé de forma profunda. Maria, esta jovem corajosa nos mostra o segredo: deixar-se tomar pela força do Espírito Santo. Ele renova as nossas forças como de uma águia. O Espírito Santo te capacita jovem, a ser de Deus no teu namoro, tendo um namoro santo, a ser de Deus na tua família amando e perdoando, a vencer o vício das drogas, vicio de bebida, e todo tipo de vício. Ele, o Espírito Santo é nossa força; é a força prometida por Jesus. Então clame, peça, que por intercessão de Maria, a Virgem de Pentecostes, ele te dará vida nova hoje, neste grupo de oração, onde Deus quer te fazer um jovem, uma jovem totalmente renovado pelo Espírito Santo. Nunca se esqueça: “Jovens, vós sois fortes, vós vencestes o Maligno (I Jo 2,13). Nos garante o Senhor nesta Palavra que ele nos faz fortes. Assumamos o poder desta palavra em nossas vidas. E sejamos do Senhor. Ele te quer por inteiro e não pelas metades. Ele te ama e está contigo! Creia!

     Não tenha medo jovem, de dar a Deus o que você tem de mais precioso, que é a sua juventude a Ele. Saiba que vale a pena ser de Deus, não ser pela metade, mas ser inteiro de Deus.

     Concluo este texto repetindo as palavras do Papa Bento XVI quando esteve em Madri: “Jovens, não tenhais vergonha de Jesus Cristo, de mostrar que sois inteiramente dele. O mundo precisa de vosso testemunho”. 

Deixo-lhes minha benção sacerdotal!

Com imenso carinho e estima;


Autor: Pe. João Evangelista Maria da Cruz Azevedo,sjs
Voltar para página de artigos
Comentários

Nome(requerido)

Email(requerido)




mais comentários clique aqui ...
Todos os direitos reservados a Invictos Tecnologia
Versão 1.0.0.89